Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Keytruda (pembrolizumab) – Folheto informativo - L01

Updated on site: 08-Oct-2017

Nome do medicamentoKeytruda
Código ATCL01
Substânciapembrolizumab
FabricanteMerck Sharp

Folheto informativo: Informação para o doente

KEYTRUDA 50 mg pó para concentrado para solução para perfusão pembrolizumab

Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Poderá ajudar, comunicando quaisquer efeitos secundários que tenha. Para saber como comunicar efeitos secundários, veja o final da secção 4.

Leia com atenção todo este folheto antes de lhe ser administrado este medicamento, pois contém informação importante para si.

-Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

-É importante que mantenha o Cartão de Alerta consigo durante o tratamento.

-Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico.

-Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1.O que é KEYTRUDA e para que é utilizado

2.O que precisa de saber antes de lhe ser administrado KEYTRUDA

3.Como lhe é administrado KEYTRUDA

4.Efeitos secundários possíveis

5.Como conservar KEYTRUDA

6.Conteúdo da embalagem e outras informações

1.O que é KEYTRUDA e para que é utilizado

KEYTRUDA contém a substância ativa pembrolizumab, que é um anticorpo monoclonal. KEYTRUDA funciona ajudando o seu sistema imunitário a lutar contra o seu cancro.

KEYTRUDA é utilizado em adultos para tratar:

um tipo de cancro da pele chamado melanoma

um tipo de cancro do pulmão chamado cancro do pulmão de células não-pequenas

um tipo de cancro chamado linfoma de Hodgkin clássico.

O KEYTRUDA é utilizado quando o cancro se disseminou ou não pode ser retirado por cirurgia.

2.O que precisa de saber antes de lhe ser administrado KEYTRUDA

Não lhe deve ser administrado KEYTRUDA:

-se tem alergia ao pembrolizumab ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6 “Conteúdo da embalagem e outras informações”). Fale com o seu médico se não tem a certeza.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou enfermeiro antes de lhe ser administrado KEYTRUDA.

Antes de lhe ser administrado KEYTRUDA, informe o seu medico se:

-tem uma doença autoimune (uma situação em que o organismo ataca as suas próprias células)

-tem pneumonia ou inflamação dos pulmões (chamada pneumonite)

-lhe foi anteriormente administrado ipilimumab, outro medicamento para o tratamento do melanoma, e teve efeitos secundários graves por causa desse medicamento

-teve uma reação alérgica a outras terapêuticas com anticorpos monoclonais

-tem ou teve infeção viral crónica do fígado, incluindo hepatite B (VHB) ou hepatite C (VHC)

-tem infeção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) ou síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA)

-tem lesões no fígado

-tem lesões nos rins

-recebeu um transplante de órgão sólido

Quando lhe é administrado KEYTRUDA, pode ter alguns efeitos secundários graves. Pode ter mais do que um efeito secundário ao mesmo tempo.

Se tem alguma das seguintes situações, fale ou consulte o seu médico imediatamente. O seu médico pode dar-lhe outros medicamentos para prevenir complicações mais graves e reduzir os seus sintomas. O seu médico pode suspender a próxima dose de KEYTRUDA ou parar o seu tratamento com KEYTRUDA.

-inflamação dos pulmões, que pode incluir falta de ar, dor no peito ou tosse (possivelmente fatal)

-inflamação dos intestinos, que pode incluir diarreia ou mais movimentos dos intestinos que o habitual, fezes negras, pegajosas, como alcatrão ou fezes com sangue ou muco, sensibilidade ou dor grave no estômago, náuseas, vómitos

-inflamação do fígado, que pode incluir náuseas ou vómitos, sentir menos fome, dor no lado direito do estômago, amarelecimento da pele ou da parte branca dos olhos, urina escura ou hemorragias ou aparecimento de nódoas negras mais frequente do que o normal

-inflamação dos rins, que pode incluir alterações na quantidade ou cor da urina

-inflamação das glândulas endócrinas (especialmente a tiroide, hipófise e as suprarrenais), que pode incluir batimento rápido do coração, perda de peso, aumento da sudorese, aumento de peso, perda de cabelo, sensação de frio, prisão de ventre, voz mais grave, dores musculares, tonturas ou desmaios, dores de cabeça que são persistentes ou dor de cabeça que não é habitual

-diabetes tipo 1,que pode incluir sentir mais fome ou sede do que o habitual, necessidade de urinar com mais frequência ou perda de peso

-inflamação dos olhos, que pode incluir alterações na visão

-inflamação nos músculos, que pode incluir dor muscular ou fraqueza

-inflamação do pâncreas, que pode incluir dor no abdómen (na zona do estômago), náuseas e vómitos

-inflamação da pele, que pode incluir erupção da pele, comichão, formação de bolhas na pele, exfoliação ou feridas e/ou úlceras na boca ou no revestimento do nariz, garganta ou zona genital (possivelmente fatal)

-reações à perfusão, que pode incluir falta de ar, comichão ou erupção da pele, tonturas ou febre

Complicações no transplante de células estaminais que utiliza células estaminais do dador (alogénico) após o tratamento com KEYTRUDA. Estas complicações podem ser graves e conduzir à morte. Se tem um transplante alogénico de células estaminais, o seu profissional de saúde irá monitorizá-lo para sinais de complicações. Se for realizar um transplante de células estaminais, informe o seu médico do transplante que recebeu pembrolizumab anteriormente.

Crianças e adolescentes

KEYTRUDA não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos.

Outros medicamentos e KEYTRUDA

Informe o seu médico

-Se estiver a tomar outros medicamentos que tornam fraco o seu sistema imunitário. Como exemplo podemos incluir os corticosteroides, tais como a prednisona. Estes medicamentos podem interferir com o efeito de KEYTRUDA. No entanto, uma vez que esteja a ser tratado com KEYTRUDA, o seu médico poderá dar-lhe corticosteroides para diminuir os efeitos secundários que poderá ter com KEYTRUDA.

-Se estiver a tomar, tiver tomado recentemente ou se vier a tomar outros medicamentos.

Gravidez

-Se está grávida não pode utilizar KEYTRUDA a não ser que o seu médico o tenha especificamente recomendado.

-Se está grávida, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico.

-KEYTRUDA pode causar danos ou morte ao seu feto.

-Se é uma mulher com potencial para engravidar, tem de utilizar métodos contracetivos eficazes durante o tratamento com KEYTRUDA e durante pelo menos 4 meses após a última dose.

Amamentação

-Se está a amamentar, informe o seu médico.

-Não amamente enquanto lhe estiver a ser administrado KEYTRUDA.

-Não se sabe se o KEYTRUDA passa para o leite materno.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Não conduza ou utilize máquinas após lhe ter sido administrado KEYTRUDA a menos que tenha certeza que se está a sentir bem. O cansaço e a fraqueza são efeitos secundários muito frequentes do KEYTRUDA. Isto pode afetar a sua capacidade de conduzir ou utilizar máquinas.

3.Como lhe é administrado KEYTRUDA

KEYTRUDA ser-lhe-á administrado num hospital ou numa clínica sob a supervisão de um médico com experiência em tratamento do cancro.

-KEYTRUDA ser-lhe-á administrado pelo seu médico através de uma perfusão na veia (IV) durante cerca de 30 minutos, a cada 3 semanas.

-O seu médico irá determinar quantos tratamentos necessita.

A dose recomendada é:

-200 mg de pembrolizumab se tem cancro do pulmão de células não-pequenas que não foi previamente tratado com quimioterapia ou linfoma de Hodgkin clássico.

-2 mg de pembrolizumab por quilograma de peso corporal se tem melanoma ou cancro do pulmão de células não-pequenas que foi previamente tratado com quimioterapia.

Caso se tenha esquecido da consulta para a administração do KEYTRUDA

-Fale com o seu médico imediatamente para reagendar a sua consulta.

-É muito importante que não falhe nenhuma dose deste medicamento.

Se parar de receber KEYTRUDA

Parar o tratamento pode parar o efeito do medicamento. Não pare o tratamento com KEYTRUDA a não ser que tenha discutido este assunto com o seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o seu tratamento, fale com o seu médico.

Vai também encontrar esta informação no Cartão de Alerta do Doente que lhe foi dado pelo seu médico. É importante que guarde este Cartão de Alerta e o mostre ao seu acompanhante ou cuidadores.

4.Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Quando lhe é administrado KEYTRUDA, pode ter alguns efeitos secundários graves. Ver secção 2.

Os seguintes efeitos secundários foram comunicados:

Muito frequentes (podem afetar mais do que 1 em 10 pessoas)

-diarreia; náuseas

-comichão; erupção na pele

-sensação de cansaço

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

-dor nas articulações

-diminuição no número de glóbulos vermelhos do sangue

-problemas na tiróide; afrontamentos

-sentir menos fome

-dor de cabeça; tonturas; alteração no sentido do paladar

-inflamação dos pulmões; falta de ar; tosse

-inflamação dos intestinos; boca seca

-olho seco

-dor de estômago; prisão de ventre; vómitos

-erupção com descamação e vermelhidão da pele, por vezes com bolhas; manchas na pele que perderam a cor; pele seca e com comichão

-dor, moinhas ou sensibilidade muscular; dor nos músculos e nos ossos; dor nos braços ou nas pernas; dor nas articulações com inchaço

-inchaço; cansaço ou fraqueza não habituais; arrepios; doença tipo gripe; febre

-aumento dos valores das enzimas do fígado no sangue; teste de função renal anormal

-reação relacionada com a perfusão do medicamento

Pouco frequentes (pode afetar até 1 em 100 pessoas)

-diminuição do número de glóbulos brancos (neutrófilos, leucócitos, linfócitos e eosinófilos); diminuição no número de plaquetas (aparecimento mais fácil de nódoas negras ou hemorragias)

-inflamação da glândula pituitária situada na base do cérebro; diminuição da secreção de hormonas produzidas pelas glândulas adrenais; inflamação da tiróide

-diabetes tipo 1; diminuição do sódio, potássio e cálcio no sangue

-dificuldade em dormir

-convulsões; falta de energia; inflamação nos nervos que causa dormência, fraqueza, formigueiro ou ardor nos braços e nas pernas

-inflamação dos olhos; dor nos olhos, irritação, comichão ou vermelhidão; sensibilidade desconfortável à luz; visualização de manchas

-pressão arterial alta

-inflamação do pâncreas

-inflamação do fígado

-crescimento de pele grossa, por vezes escamosa; perda de cabelo; inflamação da pele; problema de pele tipo acne; alteração da cor do cabelo; pequenas saliências, altos ou feridas na pele

-inflamação da bainha que envolve tendões

-inflamação dos rins

-aumento dos valores de amilase, uma enzima que decompõe o amido; aumento do cálcio no sangue

Raros (pode afetar até 1 em 1.000 pessoas)

-resposta inflamatória contra plaquetas ou glóbulos vermelhos

-um distúrbio imunitário que pode afetar os pulmões, pele, olhos e/ou nódulos linfáticos (sarcoidose)

-inflamação temporária dos nervos que causam dor, fraqueza e paralesia nas extremidades; uma situação em que os músculos se tornam fracos e se cansam facilmente

-uma perfuração no intestino delgado

-saliências vermelhas sob pele

-comichão, formação de bolhas na pele, exfoliação ou feridas e/ou úlceras na boca ou no revestimento do nariz, garganta ou zona genital (necrólise epidérmica tóxica ou síndrome de Stevens-Johnson)

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

5.Como conservar KEYTRUDA

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no rótulo do frasco para injetáveis após EXP. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Conservar no frigorífico (2°C ˗ 8°C).

Do ponto de vista microbiológico, a solução reconstituída ou diluída deve ser utilizada imediatamente. A solução reconstituída ou diluída não pode ser congelada. Se não for utilizado imediatamente, a estabilidade química e física de KEYTRUDA em utilização foi demonstrada durante 24 horas, de 2ºC a 8ºC. Esta espera de 24 horas no total após reconstituição, pode incluir até 6 horas à temperatura ambiente (igual ou inferior a 25°C). Se os frascos para injetáveis e/ou sacos intravenosos estiverem refrigerados, é necessário deixar que atinjam a temperatura ambiente antes de usar.

Não conserve qualquer porção não utilizada da solução de perfusão para reutilização. Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

6.Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de KEYTRUDA

A substância ativa é o pembrolizumab. Um frasco para injetáveis contém 50 mg de pembrolizumab.

Após reconstituição, 1 ml de concentrado contém 25 mg de pembrolizumab.

Os outros componentes são L-histidina, cloridrato de L-histidina mono-hidratado, sacarose e polissorbato 80.

Qual o aspeto de KEYTRUDA e conteúdo da embalagem

KEYTRUDA é um pó liofilizado branco a esbranquiçado.

Está disponível em embalagens contendo um frasco de vidro.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Merck Sharp & Dohme Limited

Hertford Road

Hoddesdon

Hertfordshire EN11 9BU

Reino Unido

Fabricante

Schering-Plough Labo NV

Industriepark 30

B-2220 Heist-op-den-Berg

Bélgica

Para quaisquer informações sobre este medicamento, queira contactar o representante local do Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

België/Belgique/Belgien

Lietuva

MSD Belgium BVBA/SPRL

UAB Merck Sharp & Dohme

Tél/Tel: 0800 38 693 (+32(0)27766211)

Tel. + 370 5 278 02 47

dpoc_belux@merck.com

msd_lietuva@merck.com

България

Luxembourg/Luxemburg

Мерк Шарп и Доум България ЕООД

MSD Belgium BVBA/SPRL

Тел.: +359 2 819 3737

Tél/Tel: +32(0)27766211

info-msdbg@merck.com

dpoc_belux@merck.com

Česká republika

Magyarország

Merck Sharp & Dohme s.r.o.

MSD Pharma Hungary Kft.

Tel: +420 233 010 111

Tel.: +36 1 888 5300

dpoc_czechslovak@merck.com

hungary_msd@merck.com

Danmark

Malta

MSD Danmark ApS

Merck Sharp & Dohme Cyprus Limited

Tlf: + 45 4482 4000

Tel: 8007 4433 (+356 99917558)

dkmail@merck.com

malta_info@merck.com

Deutschland

Nederland

MSD SHARP & DOHME GMBH

Merck Sharp & Dohme BV

Tel: 0800 673 673 673 (+49 (0) 89 4561 2612)

Tel: 0800 9999000

e-mail@msd.de

(+31 23 5153153)

 

medicalinfo.nl@merck.com

Eesti

Norge

Merck Sharp & Dohme OÜ

MSD (Norge) AS

Tel.: +372 6144 200

Tlf: +47 32 20 73 00

msdeesti@merck.com

msdnorge@msd.no

Ελλάδα

Österreich

MSD Α.Φ.Β.Ε.Ε.

Merck Sharp & Dohme Ges.m.b.H.

Τηλ: +30 210 98 97 300

Tel: +43 (0) 1 26 044

dpoc_greece@merck.com

msd-medizin@merck.com

España

Polska

Merck Sharp & Dohme de España, S.A.

MSD Polska Sp. z o.o.

Tel: +34 91 321 06 00

Tel: +48 22 549 51 00

msd_info@merck.com

msdpolska@merck.com

France

Portugal

MSD France

Merck Sharp & Dohme, Lda

Tél: + 33 (0) 1 80 46 40 40

Tel: +351 21 4465700

 

clic@merck.com

Hrvatska

România

Merck Sharp & Dohme d.o.o.

Merck Sharp & Dohme Romania S.R.L.

Tel: + 385 1 6611 333

Tel: +40 21 529 29 00

croatia_info@merck.com

msdromania@merck.com

Ireland

Slovenija

Merck Sharp & Dohme Ireland (Human Health)

Merck Sharp & Dohme, inovativna zdravila d.o.o.

Limited

Tel: +386 1 5204 201

Tel: +353 (0)1 2998700

msd.slovenia@merck.com

medinfo_ireland@merck.com

 

Ísland

Slovenská republika

Vistor hf.

Merck Sharp & Dohme, s. r. o.

Sími: + 354 535 7000

Tel: +421 2 58282010

 

dpoc_czechslovak@merck.com

Italia

Suomi/Finland

MSD Italia S.r.l.

MSD Finland Oy

Tel: +39 06 361911

Puh/Tel: +358 (0)9 804 650

medicalinformation.it@merck.com

info@msd.fi

Κύπρος

Sverige

Merck Sharp & Dohme Cyprus Limited

Merck Sharp & Dohme (Sweden) AB

Τηλ.: 800 00 673 (+357 22866700)

Tel: +46 77 5700488

cyprus_info@merck.com

medicinskinfo@merck.com

Latvija

United Kingdom

SIA Merck Sharp & Dohme Latvija

Merck Sharp & Dohme Limited

Tel: + 371 67364224

Tel: +44 (0) 1992 467272

msd_lv@merck.com

medicalinformationuk@merck.com

Este folheto foi revisto pela última vez em

 

Outras fontes de informação

 

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

A informação que se segue destina-se apenas aos profissionais de saúde:

Preparação e administração

Antes da reconstituição, o frasco para injetáveis do pó liofilizado pode estar fora do frigorífico (temperaturas iguais ou inferiores a 25°C) até 24 horas.

Adicionar asseticamente 2,3 ml de água para injetáveis para obter uma solução a 25 mg/ml (pH 5,2-5,8) de KEYTRUDA. Cada frasco contém uma quantidade adicional de 10 mg

(0,4 ml) para assegurar a recolha de 50 mg de KEYTRUDA por frasco. Após reconstituição,

1ml de concentrado contém 25 mg de pembrolizumab.

Para evitar a formação de espuma, verter a água ao longo das paredes do frasco para injetáveis e não diretamente sobre o pó liofilizado.

Rodar lentamente o frasco para permitir a reconstituição do pó liofilizado. Aguardar até

5minutos para as bolhas se dissiparem. Não agitar o frasco para injetáveis.

Os medicamentos de uso parentérico devem ser inspecionados visualmente antes da administração relativamente a partículas e descoloração. KEYTRUDA reconstituído é uma solução transparente a ligeiramente opalescente, incolor a amarelo pálido. Rejeitar o frasco para injetáveis se forem observadas partículas visíveis.

Extrair o volume necessário até 2 ml (50 mg) de KEYTRUDA e transferir para um saco intravenoso contendo cloreto de sódio a 9 mg/ml (0,9%) ou glucose 50 mg/ml (5%) para preparar uma solução diluída com uma concentração final entre 1 a 10 mg/ml. Misturar a solução diluída por inversão suave.

Do ponto de vista microbiológico, a solução reconstituída ou diluída deve ser utilizada imediatamente. A solução reconstituída ou diluída não pode ser congelada. Se não for utilizado imediatamente, a estabilidade química e física de KEYTRUDA em utilização foi demonstrada durante 24 horas, de 2ºC a 8ºC. Esta retenção de 24 horas no total após reconstituição, pode incluir até 6 horas à temperatura ambiente (igual ou inferior a 25°C). Se os frascos para injetáveis e/ou sacos intravenosos estiverem refrigerados, é necessário deixar que atinjam a temperatura ambiente antes de usar. Administrar a solução para perfusão intravenosa durante 30 minutos, utilizando uma linha de perfusão com filtro de 0,2 a 5 µm, estéril, não pirogénio, de baixa ligação às proteínas ou adicionar filtro.

Não coadministrar outros medicamentos através da mesma linha de perfusão.

KEYTRUDA é para utilização única. Rejeitar qualquer porção não utilizada deixada no frasco.

Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

Folheto informativo: Informação para o doente

KEYTRUDA 25 mg/ml concentrado para solução para perfusão pembrolizumab

Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Poderá ajudar, comunicando quaisquer efeitos secundários que tenha. Para saber como comunicar efeitos secundários, veja o final da secção 4.

Leia com atenção todo este folheto antes de lhe ser administrado este medicamento, pois contém informação importante para si.

-Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

-É importante que mantenha o Cartão de Alerta consigo durante o tratamento.

-Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico.

-Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1.O que é KEYTRUDA e para que é utilizado

2.O que precisa de saber antes de lhe ser administrado KEYTRUDA

3.Como lhe é administrado KEYTRUDA

4.Efeitos secundários possíveis

5.Como conservar KEYTRUDA

6.Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é KEYTRUDA e para que é utilizado

KEYTRUDA contém a substância ativa pembrolizumab, que é um anticorpo monoclonal. KEYTRUDA funciona ajudando o seu sistema imunitário a lutar contra o seu cancro.

KEYTRUDA é utilizado em adultos para tratar:

um tipo de cancro da pele chamado melanoma

um tipo de cancro do pulmão chamado cancro do pulmão de células não-pequenas

um tipo de cancro chamado linfoma de Hodgkin clássico.

O KEYTRUDA é utilizado quando o cancro se disseminou ou não pode ser retirado por cirurgia.

2. O que precisa de saber antes de lhe ser administrado KEYTRUDA

Não lhe deve ser administrado KEYTRUDA:

-se tem alergia ao pembrolizumab ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6 “Conteúdo da embalagem e outras informações”). Fale com o seu médico se não tem a certeza.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou enfermeiro antes de lhe ser administrado KEYTRUDA.

Antes de lhe ser administrado KEYTRUDA, informe o seu medico se:

-tem uma doença autoimune (uma situação em que o organismo ataca as suas próprias células)

-tem pneumonia ou inflamação dos pulmões (chamada pneumonite)

-lhe foi anteriormente administrado ipilimumab, outro medicamento para o tratamento do melanoma, e teve efeitos secundários graves por causa desse medicamento

-teve uma reação alérgica a outras terapêuticas com anticorpos monoclonais

-tem ou teve infeção viral crónica do fígado, incluindo hepatite B (VHB) ou hepatite C (VHC)

-tem infeção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) ou síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA)

-tem lesões no fígado

-tem lesões nos rins

-recebeu um transplante de órgão sólido

Quando lhe é administrado KEYTRUDA, pode ter alguns efeitos secundários graves. Pode ter mais do que um efeito secundário ao mesmo tempo.

Se tem alguma das seguintes situações, fale ou consulte o seu médico imediatamente. O seu médico pode dar-lhe outros medicamentos para prevenir complicações mais graves e reduzir os seus sintomas. O seu médico pode suspender a próxima dose de KEYTRUDA ou parar o seu tratamento com KEYTRUDA.

-inflamação dos pulmões, que pode incluir falta de ar, dor no peito ou tosse (possivelmente fatal)

-inflamação dos intestinos, que pode incluir diarreia ou mais movimentos dos intestinos que o habitual, fezes negras, pegajosas, como alcatrão ou fezes com sangue ou muco, sensibilidade ou dor grave no estômago, náuseas, vómitos

-inflamação do fígado, que pode incluir náuseas ou vómitos, sentir menos fome, dor no lado direito do estômago, amarelecimento da pele ou da parte branca dos olhos, urina escura ou hemorragias ou aparecimento de nódoas negras mais frequente do que o normal

-inflamação dos rins, que pode incluir alterações na quantidade ou cor da urina

-inflamação das glândulas endócrinas (especialmente a tiroide, hipófise e as suprarrenais), que pode incluir batimento rápido do coração, perda de peso, aumento da sudorese, aumento de peso, perda de cabelo, sensação de frio, prisão de ventre, voz mais grave, dores musculares, tonturas ou desmaios, dores de cabeça que são persistentes ou dor de cabeça que não é habitual

-diabetes tipo 1,que pode incluir sentir mais fome ou sede do que o habitual, necessidade de urinar com mais frequência ou perda de peso

-inflamação dos olhos, que pode incluir alterações na visão

-inflamação nos músculos, que pode incluir dor muscular ou fraqueza

-inflamação do pâncreas, que pode incluir dor no abdómen (na zona do estômago), náuseas e vómitos

-inflamação da pele, que pode incluir erupção da pele, comichão, formação de bolhas na pele, exfoliação ou feridas e/ou úlceras na boca ou no revestimento do nariz, garganta ou zona genital (possivelmente fatal)

-reações à perfusão, que pode incluir falta de ar, comichão ou erupção da pele, tonturas ou febre

Complicações no transplante de células estaminais que utiliza células estaminais do dador (alogénico) após o tratamento com KEYTRUDA. Estas complicações podem ser graves e conduzir à morte. Se tem um transplante alogénico de células estaminais, o seu profissional de saúde irá monitorizá-lo para sinais de complicações. Se for realizar um transplante de células estaminais, informe o seu médico do transplante que recebeu pembrolizumab anteriormente.

Crianças e adolescentes

KEYTRUDA não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos.

Outros medicamentos e KEYTRUDA

Informe o seu médico

-Se estiver a tomar outros medicamentos que tornam fraco o seu sistema imunitário. Como exemplo podemos incluir os corticosteroides, tais como a prednisona. Estes medicamentos podem interferir com o efeito de KEYTRUDA. No entanto, uma vez que esteja a ser tratado com KEYTRUDA, o seu médico poderá dar-lhe corticosteroides para diminuir os efeitos secundários que poderá ter com KEYTRUDA.

-Se estiver a tomar, tiver tomado recentemente ou se vier a tomar outros medicamentos.

Gravidez

-Se está grávida não pode utilizar KEYTRUDA a não ser que o seu médico o tenha especificamente recomendado.

-Se está grávida, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico.

-KEYTRUDA pode causar danos ou morte ao seu feto.

-Se é uma mulher com potencial para engravidar, tem de utilizar métodos contracetivos eficazes durante o tratamento com KEYTRUDA e durante pelo menos 4 meses após a última dose.

Amamentação

-Se está a amamentar, informe o seu médico.

-Não amamente enquanto lhe estiver a ser administrado KEYTRUDA.

-Não se sabe se o KEYTRUDA passa para o leite materno.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Não conduza ou utilize máquinas após lhe ter sido administrado KEYTRUDA a menos que tenha certeza que se está a sentir bem. O cansaço e a fraqueza são efeitos secundários muito frequentes do KEYTRUDA. Isto pode afetar a sua capacidade de conduzir ou utilizar máquinas.

3. Como lhe é administrado KEYTRUDA

KEYTRUDA ser-lhe-á administrado num hospital ou numa clínica sob a supervisão de um médico com experiência em tratamento do cancro.

-KEYTRUDA ser-lhe-á administrado pelo seu médico através de uma perfusão na veia (IV) durante cerca de 30 minutos, a cada 3 semanas.

-O seu médico irá determinar quantos tratamentos necessita.

A dose recomendada é:

-200 mg de pembrolizumab se tem cancro do pulmão de células não-pequenas que não foi previamente tratado com quimioterapia ou linfoma de Hodgkin clássico.

-2 mg de pembrolizumab por quilograma de peso corporal se tem melanoma ou cancro do pulmão de células não-pequenas que foi previamente tratado com quimioterapia.

Caso se tenha esquecido da consulta para a administração do KEYTRUDA

-Fale com o seu médico imediatamente para reagendar a sua consulta.

-É muito importante que não falhe nenhuma dose deste medicamento.

Se parar de receber KEYTRUDA

Parar o tratamento pode parar o efeito do medicamento. Não pare o tratamento com KEYTRUDA a não ser que tenha discutido este assunto com o seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o seu tratamento, fale com o seu médico.

Vai também encontrar esta informação no Cartão de Alerta do Doente que lhe foi dado pelo seu médico. É importante que guarde este Cartão de Alerta e o mostre ao seu acompanhante ou cuidadores.

4. Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Quando lhe é administrado KEYTRUDA, pode ter alguns efeitos secundários graves. Ver secção 2.

Os seguintes efeitos secundários foram comunicados:

Muito frequentes (podem afetar mais do que 1 em 10 pessoas)

-diarreia; náuseas

-comichão; erupção na pele

-sensação de cansaço

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

-dor nas articulações

-diminuição no número de glóbulos vermelhos do sangue

-problemas na tiróide; afrontamentos

-sentir menos fome

-dor de cabeça; tonturas; alteração no sentido do paladar

-inflamação dos pulmões; falta de ar; tosse

-inflamação dos intestinos; boca seca

-olho seco

-dor de estômago; prisão de ventre; vómitos

-erupção com descamação e vermelhidão da pele, por vezes com bolhas; manchas na pele que perderam a cor; pele seca e com comichão

-dor, moinhas ou sensibilidade muscular; dor nos músculos e nos ossos; dor nos braços ou nas pernas; dor nas articulações com inchaço

-inchaço; cansaço ou fraqueza não habituais; arrepios; doença tipo gripe; febre

-aumento dos valores das enzimas do fígado no sangue; teste de função renal anormal

-reação relacionada com a perfusão do medicamento

Pouco frequentes (pode afetar até 1 em 100 pessoas)

-diminuição do número de glóbulos brancos (neutrófilos, leucócitos, linfócitos e eosinófilos); diminuição no número de plaquetas (aparecimento mais fácil de nódoas negras ou hemorragias)

-inflamação da glândula pituitária situada na base do cérebro; diminuição da secreção de hormonas produzidas pelas glândulas adrenais; inflamação da tiróide

-diabetes tipo 1; diminuição do sódio, potássio e cálcio no sangue

-dificuldade em dormir

-convulsões; falta de energia; inflamação nos nervos que causa dormência, fraqueza, formigueiro ou ardor nos braços e nas pernas

-inflamação dos olhos; dor nos olhos, irritação, comichão ou vermelhidão; sensibilidade desconfortável à luz; visualização de manchas

-pressão arterial alta

-inflamação do pâncreas

-inflamação do fígado

-crescimento de pele grossa, por vezes escamosa; perda de cabelo; inflamação da pele; problema de pele tipo acne; alteração da cor do cabelo; pequenas saliências, altos ou feridas na pele

-inflamação da bainha que envolve tendões

-inflamação dos rins

-aumento dos valores de amilase, uma enzima que decompõe o amido; aumento do cálcio no sangue

Raros (pode afetar até 1 em 1.000 pessoas)

-resposta inflamatória contra plaquetas ou glóbulos vermelhos

-um distúrbio imunitário que pode afetar os pulmões, pele, olhos e/ou nódulos linfáticos (sarcoidose)

-inflamação temporária dos nervos que causam dor, fraqueza e paralesia nas extremidades; uma situação em que os músculos se tornam fracos e se cansam facilmente

-uma perfuração no intestino delgado

-saliências vermelhas sob pele

-comichão, formação de bolhas na pele, exfoliação ou feridas e/ou úlceras na boca ou no revestimento do nariz, garganta ou zona genital (necrólise epidérmica tóxica ou síndrome de Stevens-Johnson)

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

5. Como conservar KEYTRUDA

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no rótulo do frasco para injetáveis após EXP. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Conservar no frigorífico (2°C - 8°C).

Não congelar.

Conservar na embalagem original para proteger da luz.

Do ponto de vista microbiológico, o produto, uma vez diluído, deve ser utilizado imediatamente. A solução diluída não pode ser congelada. Se não for utilizado imediatamente, a estabilidade química e física de KEYTRUDA em utilização foi demonstrada durante 24 horas, de 2ºC a 8ºC. Esta espera de 24 horas pode incluir até 6 horas à temperatura ambiente (igual ou inferior a 25°C). Se os frascos

para injetáveis e/ou sacos intravenosos estiverem refrigerados, é necessário deixar que atinjam a temperatura ambiente antes de usar.

Não conserve qualquer porção não utilizada da solução de perfusão para reutilização. Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de KEYTRUDA

A substância ativa é o pembrolizumab.

Um frasco para injectáveis de 4 ml contém 100 mg de pembrolizumab.

Cada ml de concentrado contém 25 mg de pembrolizumab.

Os outros componentes são L-histidina, cloridrato de L-histidina mono-hidratado, sacarose e polissorbato 80 e água para injectáveis.

Qual o aspeto de KEYTRUDA e conteúdo da embalagem

KEYTRUDA é uma solução transparente a ligeiramente opalescente, incolor a amarelo pálido, pH 5,2 – 5,8. Está disponível em embalagens contendo um frasco de vidro.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Merck Sharp & Dohme Limited

Hertford Road

Hoddesdon

Hertfordshire EN11 9BU

Reino Unido

Fabricante

Schering-Plough Labo NV

Industriepark 30

B-2220 Heist-op-den-Berg

Bélgica

Para quaisquer informações sobre este medicamento, queira contactar o representante local do Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

België/Belgique/Belgien

Lietuva

MSD Belgium BVBA/SPRL

UAB Merck Sharp & Dohme

Tél/Tel: 0800 38 693 (+32(0)27766211)

Tel. + 370 5 278 02 47

dpoc_belux@merck.com

msd_lietuva@merck.com

България

Luxembourg/Luxemburg

Мерк Шарп и Доум България ЕООД

MSD Belgium BVBA/SPRL

Тел.: +359 2 819 3737

Tél/Tel: +32(0)27766211

info-msdbg@merck.com

dpoc_belux@merck.com

Česká republika

Magyarország

Merck Sharp & Dohme s.r.o.

MSD Pharma Hungary Kft.

Tel: +420 233 010 111

Tel.: +36 1 888 5300

dpoc_czechslovak@merck.com

hungary_msd@merck.com

Danmark

Malta

MSD Danmark ApS

Merck Sharp & Dohme Cyprus Limited

Tlf: + 45 4482 4000

Tel: 8007 4433 (+356 99917558)

dkmail@merck.com

malta_info@merck.com

Deutschland

Nederland

MSD SHARP & DOHME GMBH

Merck Sharp & Dohme BV

Tel: 0800 673 673 673 (+49 (0) 89 4561 2612)

Tel: 0800 9999000

e-mail@msd.de

(+31 23 5153153)

 

medicalinfo.nl@merck.com

Eesti

Norge

Merck Sharp & Dohme OÜ

MSD (Norge) AS

Tel.: +372 6144 200

Tlf: +47 32 20 73 00

msdeesti@merck.com

msdnorge@msd.no

Ελλάδα

Österreich

MSD Α.Φ.Β.Ε.Ε.

Merck Sharp & Dohme Ges.m.b.H.

Τηλ: +30 210 98 97 300

Tel: +43 (0) 1 26 044

dpoc_greece@merck.com

msd-medizin@merck.com

España

Polska

Merck Sharp & Dohme de España, S.A.

MSD Polska Sp. z o.o.

Tel: +34 91 321 06 00

Tel: +48 22 549 51 00

msd_info@merck.com

msdpolska@merck.com

France

Portugal

MSD France

Merck Sharp & Dohme, Lda

Tél: + 33 (0) 1 80 46 40 40

Tel: +351 21 4465700

 

clic@merck.com

Hrvatska

România

Merck Sharp & Dohme d.o.o.

Merck Sharp & Dohme Romania S.R.L.

Tel: + 385 1 6611 333

Tel: +40 21 529 29 00

croatia_info@merck.com

msdromania@merck.com

Ireland

Slovenija

Merck Sharp & Dohme Ireland (Human Health)

Merck Sharp & Dohme, inovativna zdravila d.o.o.

Limited

Tel: +386 1 5204 201

Tel: +353 (0)1 2998700

msd.slovenia@merck.com

medinfo_ireland@merck.com

 

Ísland

Slovenská republika

Vistor hf.

Merck Sharp & Dohme, s. r. o.

Sími: + 354 535 7000

Tel: +421 2 58282010

 

dpoc_czechslovak@merck.com

Italia

Suomi/Finland

MSD Italia S.r.l.

MSD Finland Oy

Tel: +39 06 361911

Puh/Tel: +358 (0)9 804 650

medicalinformation.it@merck.com

info@msd.fi

Κύπρος

Sverige

Merck Sharp & Dohme Cyprus Limited

Merck Sharp & Dohme (Sweden) AB

Τηλ.: 800 00 673 (+357 22866700)

Tel: +46 77 5700488

cyprus_info@merck.com

medicinskinfo@merck.com

Latvija

United Kingdom

SIA Merck Sharp & Dohme Latvija

Merck Sharp & Dohme Limited

Tel: + 371 67364224

Tel: +44 (0) 1992 467272

msd_lv@merck.com

medicalinformationuk@merck.com

Este folheto foi revisto pela última vez em

 

Outras fontes de informação

 

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

A informação que se segue destina-se apenas aos profissionais de saúde:

Preparação e administração da perfusão

Não agitar o frasco para injetáveis.

Equilibrar o frasco para injectáveis até à temperatura ambiente (igual ou inferior a 25°C)

Antes da diluição, o frasco para injetáveis com o líquido pode estar fora do frigorífico (temperatura igual ou inferior a 25°C) até 24 horas.

Os medicamentos de uso parentérico devem ser inspecionados visualmente antes da administração relativamente a partículas e descoloração. O concentrado é uma solução transparente a ligeiramente opalescente, incolor a amarelo pálido. Rejeitar o frasco para injetáveis se forem observadas partículas visíveis.

Extrair o volume necessário até 4 ml (100 mg) de concentrado e transferir para um saco intravenoso contendo cloreto de sódio a 9 mg/ml (0,9%) ou glucose 50 mg/ml (5%) para preparar uma solução diluída com uma concentração final entre 1 a 10 mg/ml. Cada frasco contém uma quantidade adicional de 0,25 ml (conteúdo total por frasco de 4,25 ml) para assegurar a recolha de 4 ml de concentrado. Misturar a solução diluída por inversão suave.

Do ponto de vista microbiológico, o produto, uma vez diluído, deve ser utilizado imediatamente. A solução diluída não pode ser congelada. Se não for utilizado imediatamente, a estabilidade química e física de KEYTRUDA em utilização foi demonstrada durante 24 horas, de 2ºC a 8ºC. Esta retenção de 24 horas pode incluir até 6 horas à temperatura ambiente (igual ou inferior a 25°C). Se os frascos para injetáveis e/ou sacos intravenosos estiverem refrigerados, é necessário deixar que atinjam a temperatura ambiente antes de usar. Administrar a solução para perfusão intravenosa durante 30 minutos, utilizando uma linha de perfusão com filtro de 0,2 a 5 µm, estéril, não pirogénio, de baixa ligação às proteínas ou adicionar filtro.

Não coadministrar outros medicamentos através da mesma linha de perfusão.

KEYTRUDA é para utilização única. Rejeitar qualquer porção não utilizada deixada no frasco.

Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados